O poder de cura de um abraço

Abraçar é uma poderosa ferramenta de cura, de tal forma que existe mesmo a chamada Terapia do Abraço. Sintomas relacionados com solidão, depressão, ansiedade ou stress podem ser aliviados com abraços. Eis alguns dos benefícios desta prática.

Diz a psicoterapeuta Virginia Satir que “precisamos de quatro abraços por dia para sobreviver, de oito abraços por dia para nos mantermos e de 12 abraços por dia para crescer”.

Que abraçar faz bem à saúde é uma daquelas verdades que não admite contraditório. Aliás, nem devia ser necessário escrever artigos a falar dos seus benefícios. Porque todos nós os sentimos quando abraçamos ou somos abraçados (salvo algumas excepções). Mas a verdade é que até já foram desenvolvidos alguns estudos sobre o assunto.

Partilho aqui 10 dos muitos benefícios que podemos retirar de um simples abraço:

1 – A pele é o nosso maior órgão e o mais envolvido no acto de abraçar. Isto porque possui uma rede de centros de pressão que ficam em contacto com o cérebro através de nervos ligados a vários órgãos, incluindo o coração. Como consequência, um abraço ajuda a reduzir os batimentos cardíacos e a pressão sanguínea, além de diminuir o risco de doenças cardiovasculares.

2 – O toque envolvido no acto de abraçar confere confiança e segurança. Isto ajuda ainda a melhorar a comunicação, tornando-a mais aberta e honesta.

3 – Os abraços têm a capacidade de aumentar instantaneamente os níveis de oxitocina, conhecida como a hormona do amor e da felicidade, o que ajuda a atenuar sentimentos de solidão, angústia e raiva, potenciando ao mesmo tempo a conexão, a confiança e a intimidade.

4 – Também os níveis de serotonina (a hormona do bem-estar) podem ser aumentados quanto maior for a duração do abraço. Em consequência, a disposição e o humor melhoram, contribuindo para uma sensação de felicidade.

5 – Os abraços reforçam o sistema imunitário. Tudo por causa da pressão que é feita no esterno e que vai não só activar o plexo solar mas também o timo, a glândula responsável pelo equilíbrio do sistema imunitário e que se localiza no chacra cardíaco.

6 – Receber abraços ajuda a melhorar a auto-estima e a autoconfiança. Por isso, as crianças devem ser abraçadas desde o primeiro segundo de vida. Esse carinho fica registado a nível celular, ajudando-nos pela vida fora a ligar-nos ao nosso amor próprio.

7 – Abraçar ajuda a relaxar músculos e a aliviar tensões, contribuindo para atenuar dores e mal-estar.

8 – Os abraços ensinam-nos a dar e a receber amor, a compreender que devemos partilhar, a sermos receptivos mas também dadores activos de carinho. Neste sentido, abraçar é uma prática que fortalece os relacionamentos.

9 – Os abraços ajudam a reduzir as nossas preocupações e medos existenciais.

10 – Finalmente, para que o abraço possa ser isto tudo, importa que estejamos em presença no momento em que o mesmo acontece, focados no que estamos a fazer. Há que abraçar com consciência e deixar que a energia curadora flua sem bloqueios nem restrições.

Por tudo isto, não percam nenhuma oportunidade de abraçar e de serem abraçados. Há gestos que têm um valor incalculável. Este é um deles.

Sobre o autor:

Terapeuta e mestre de Reiki, concilia com a atividade de jornalista e produtora de conteúdos. Elemento dos Órgãos Sociais da Associação Portuguesa de Reiki nos biénios 2012-2014 e 2014-2016

Andreia Vieira – que escreveu artigos no BeYou Reiki.

Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

* Copy This Password *

* Type Or Paste Password Here *